Glaucoma

Glaucoma

O que é o glaucoma?
O glaucoma é uma doença ocular multifatorial que afeta o nervo óptico, gerando uma perda progressiva do campo visual e da visão. Esta doença afeta cerca de 100 mil portugueses e o número tende a aumentar dado o crescente envelhecimento da população.


O glaucoma tem cura?
O glaucoma é uma doença crónica que não tem cura. Quando não é diagnosticada a tempo e não é tratada, pode conduzir à cegueira.


Como fazer o diagnóstico de glaucoma?
O glaucoma é indolor e avança sem qualquer tipo de sintomas até uma fase muito avançada. Para fazer o despiste desta doença recomenda-se uma consulta de oftalmologia anual a partir dos 40 anos.
Na consulta de oftalmologia é feito o exame oftalmológico completo e a medição da pressão intraocular e nos casos em que há suspeita de glaucoma o utente deve realizar exames especializados. Neste momento possuímos um corpo clínico especializado e equipamentos de última geração que permitem o diagnóstico preciso da doença e a avaliação da sua gravidade.


Quem tem mais risco de desenvolver glaucoma?
Sabe-se que à medida que a idade avança o risco de desenvolver glaucoma aumenta.
Mas para além da idade há outros factores de risco coma história de glaucoma na família, miopia, pressão ocular elevada, diabetes, apneia do sono e uso crónico de corticoides.


Como tratar?
O glaucoma está geralmente associada a uma pressão intraocular elevada e quando diagnosticado precocemente pode ser tratado com o recurso a medicamentos hipotensores oculares que têm por objetivo diminuir a pressão intraocular e impedir a lesão do nervo óptico e a perda visual.
Quando o tratamento com medicamentos não é suficiente para travar a progressão da doença o médico oftalmologista pode recorrer ao tratamento com laser ou cirurgia.
Neste momento dispomos de cirurgias diferenciadas e inovadoras que permitem uma descida mais eficaz da pressão intraocular.


Como fazer o seguimento da doença?
Todas as pessoas que tenham glaucoma ou risco de desenvolvimento de glaucoma devem fazer uma vigilância apertada durante toda a vida. Devem ser realizadas consultas e exames complementares de diagnóstico seriados para avaliar se a doença está controlada com o tratamento instituído. A frequência de consultas e exames varia de acordo com a gravidade da doença e é estipulada segundo as orientações de um especialista em glaucoma.

Últimas Notícias